HOME EMPRESA PRODUTOS AUTOMAÇÃO BPLC/POP'S FISPQ SAIBA MAIS NOTÍCIAS PUBLICAÇÕES DISTRIBUIÇÃO CONTATO
 

Notícias  

Dislipidemia em adolescentes

 

9/1/2017

 
height=354  

ANALISANDO

20ª Edição - Dislipidemia em adolescentes

Nilviane Pires Silva Sousa¹, Allan Kardec Barros¹, Sally Cristina Moutinho Montero²

 
¹Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia Universidade Federal do Maranhão; 
²Professora da Disciplina de Bioquímica Clínica da Faculdade de Farmácia da Universidade Federal de Maranhão.
 

____________________________________________________________________________

 

A obesidade na infância e na adolescência é um complexo problema de saúde pública que nas últimas décadas teve sua prevalência aumentada em todo o mundo. 

 height=432 

Segundo o relatório Ending Childhood Obesity da OMS (2016) o número de crianças com excesso de peso em países de baixa-média renda mais que duplicou, entre os anos de 1990 a 2014, passando de 7,5 para 15,5 milhões. No Brasil a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF 2008-2009) constatou que a prevalência de adolescentes com excesso de peso e obesidade foi 20,5% e 4,9%, respectivamente.

 height=200 

 

A obesidade pode ser definida como o acúmulo excessivo de gordura corporal que pode gerar malefícios a saúde do indivíduo, tais como diabetes, hipertensão arterial e dislipidemia. Antes preocupava-se em prevenir o aparecimento dessas comorbidades na idade adulta, porém diversos estudos destacam uma alta prevalência de adoslescentes obesos, hipertensos, dislipidêmicos e sedentários.
 
As dislipidemias podem ser subdivididas em primárias e secundárias. As primárias têm origem genética. As secundárias têm como causa principal a presença de morbidades (diabetes, obesidade, hipotireoidismo, dentre outras), uso medicamentoso (diurético, anticoncepcional, betabloqueador) e/ou estilo de vida (sedentarismo, fumo, alcoolismo). Além disso, a dislipidemia é um forte fator de risco para o desenvolvimento da aterosclerose, ou doença aterosclerótica, que é uma enfermidade das artérias de grande e médio calibre, caracterizada por lesões com aspecto de placas sendo conhecidas como ateromas. 
 
A análise laboratorial do perfil lipídico (colesterol total – CT, High Density Lipoproteins Cholesterol – HDLC, Low Density Lipoproteins Cholesterol – LDLC, triglicerídeos – TGs) dispensa   a necessidade de jejum de 12 horas, como consta nas recomendações do Consenso Brasileiro para a Normatização da Determinação Laboratorial do Perfil Lipídico (2016). Ressalta-se ainda que a obrigatoriedade do jejum deverá ser avaliada pelo clínico, sendo considerado como referência o nível desejável de triglicerídeos menor que 85 mg/dL e 100 mg/dL para crianças/adolescentes de 0 a 9 anos, e de 10 a 19 anos, respectivamente. A não obrigatoriedade do jejum, na maioria dos casos, viabiliza o acesso do paciente ao laboratório e per-mite maior possibilidade de avaliação do risco cardiovascular. 
 
Existe considerável variação intraindividual na concentração dos lipídios plasmáticos, decorrente principalmente de fatores ambientais como dieta, atividade física e alteração sazonal, com níveis mais elevados de CT e HDL-C durante o inverno. Esta variabilidade tem sido descrita entre 5% a 10% para o CT e superior a 20% para os TGs, particularmente nos indivíduos que apresentam hipertrigliceridemia. O conhecimento desses valores é importante, uma vez que contribuem para o erro total da determinação laboratorial, pois soma-se a variação analítica (SBC, 2013).
 
Os pontos de corte para o perfil lipídico para faixa etária 2 a 19 anos estão descritos no quadro abaixo:

 height=204 

*CT > 230 mg/dL há probabilidade de HF

**Quando os níveis de triglicérides estiverem acima de 440 mg/dL (sem jejum) o médico solicitante fará outra prescrição para a avaliação de TG com jejum de 12h e será considerado um novo exame de triglicérides pelo laboratório clínico.
 
Fonte: Consenso Brasileiro para a Normatização da Determinação Laboratorial do perfil Lipídico (2016) 
 
 
CONCLUSÃO
Ressalta-se que a importância da prevenção da dislipidemia na faixa infanto-juvenil, no intuito de evitar prejuízos a saúde dessa população, como por exemplo, o desenvolvimento de doenças cardiovasculares.
 
 
GOLD ANALISA DIAGNÓSTICA possui, em seu portfólio de produtos, reagentes de qualidade para a determinação de Colesterol total, HDL-C, LDL-C e triglicérides, os quais apresentam excelente desempenho e confiabilidade.
 
 
height=1131
 
 
 
REFERÊNCIAS 
LACHTERMACHER, R. Dislipidemia no adolescente: fator de risco de aterosclerose na idade adulta? quando pesquisar?  Adolesc Saude. 1(1):31-36, 2004.
(OMS) ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Ending Childhood Obesity (ECHO).Geneva: OMS, 2016.
PESQUISA DE ORÇAMENTOS FAMILIARES (POF 2008-2009).
Antropometria e estado nutricional de crianças, adolescentes e adultos no Brasil. Rio de Janeiro: IBGE, 2010.
(SBC) SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA. V DIRETRIZ BRASILEIRA DE DISLIPIDEMIAS E PREVENÇÃO DA ATEROSCLEROSE.  Arquivos Brasileiros de Cardiologia, Vol. 101, Nº 4, Supl. 1, 2013.
Consenso Brasileiro para a Normatização da Determinação Laboratorial do perfil Lipídico (2016).

PRODUTOS
Instruções de Uso.
Produtos líquidos e estáveis, prontos para uso. Linha Clássica.
AUTOMAÇÃO
Protocolos de automação para aplicação em diversos aparelhos.
DISTRIBUIÇÃO
Encontre aqui distribuidores credenciados.
PUBLICAÇÕES
Publicações Técnico-Científicas para download.
FISPQ
Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos.
BPLC/POP'S
A Gold Analisa disponibiliza para os seus clientes os Procedimentos Operacionais Padrão - POP´s.
 
Gold Analisa Diagnóstica Ltda
Av. Nossa Senhora de Fátima, 2363
Carlos Prates, Belo Horizonte - MG
Fone: (31) 3272-1888 / Fax: (31) 3271-6983
0800 703 1888
Horário de Funcionamento
Segunda a quinta-feira: 08:00 às 18:00
Sexta-feira: 08:00 às 17:00


Curta a Gold Analisa
no Facebook



Copyright 2013 - Gold Analisa - Todos os direitos reservados